sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

Governador assina decreto que cria duas novas Áreas de Proteção Ambiental na região


A região de Piracicaba ganha duas novas áreas de proteção ambiental:  a do Tanquã, considerada o "mini pantanal" paulista e a do Barreiro-Rico. A rica fauna e flora dessas áreas passarão a ser protegidas através de decretos do governador Márcio França, (PSB) publicados no Diário Oficial do Estado (DOE) no sábado (22/12).
Essas duas Áreas de Proteção Ambiental (APAs) da região de Piracicaba (SP), juntas, equivalem a 44 mil campos de futebol e concentram grande riqueza de fauna e flora. A conservação da área é uma reivindicação de anos de ambientalistas e moradores da região.
Em novembro, a criação das APAS havia sido aprovada pelo Conselho Estadual do Meio Ambiente – Consema e a votação contou com a presença de um grande numero de ambientalistas de Piracicaba.

APA Tanquã-Rio Piracicaba
Com uma área de 14.057,30 hectares (equivalente a 14 mil campos de futebol) o local abriga mais de 94 espécies de aves nativas e migratórias, além de mamíferos, répteis e anfíbios e envolve os municípios: Anhembi, Botucatu, Dois Córregos, Piracicaba, Santa Maria da Serra e São Pedro
A unidade foi criada para promover o turismo no local em bases sustentáveis, criar ações de melhoria da qualidade da água do Rio Piracicaba e melhorar a conservação dos ecossistemas.

APA Barreiro-Rico`
A APA Barreiro Rico possui uma área de 30.142,63 hectares (equivalente a 30 mil campos de futebol) abriga uma enorme variedade de espécies de pássaros e de primatas, como macaco-prego e muriqui-do-sul (ameaçado de extinção).  A área também conta com uma antiga floresta nativa, além de abrigar afluentes da Bacia do Rio Piracicaba.
A APA Barreiro Rico envolve os municípios: Anhembi, Botucatu, Piracicaba e São Pedro e foi criada com objetivo de promover ações de preservação de espécies nativas e de proteção das micro bacias do Rio Piracicaba.

Objetivos
De acordo com o Decreto os locais passarão a receber ações visando a melhoria e a manutenção da boa qualidade da agua; promoção do turismo em bases sustentáveis; busca de gestão harmônica e integrada entre as atividades produtivas e a conservação dos ecossistemas da unidade, avifauna residente e migratória e biodiversidade aquática. 
Benefícios

Com a criação das APAs, os municípios que elas abrangem passam a ter acesso a recursos, como o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) Ecológico, e políticas públicas para a preservação da fauna, flora e rios, além da possibilidade de promover o turismo e exploração sustentável.



quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Garis realizam sonho de Natal de um garoto de sete anos


Há duas semanas, o setor de Resíduos da Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Sedema), recebeu um pedido inédito, por e-mail, que chamou a atenção dos técnicos. Uma mãe escreveu contando que o filho de sete anos queria, de presente de Natal, entrar no caminhão da Coleta de Lixo da empresa Piracicaba Ambiental, que presta serviço à Prefeitura.
O pedido inusitado movimentou a Sedema e a Piracicaba Ambiental quis atender o sonho do pequeno Davi Alexandre Sesso que, todas as terças, quintas e sábados, aguarda a chegada do caminhão, por volta das 18 horas. 
Perto desse horário, o garoto fica atento ao som que anuncia que o caminhão está se aproximando. Ele identifica mesmo quando o veículo está longe. "É um compromisso inadiável para ele. Neste horário, nestes dias, ele não aceita fazer nenhum programa, ele não troca isso por nada, nem por um passeio no Shopping"., disse Vivian Sesso, mãe do Davi.  O pai, Alexandre Sesso, contou que um dia teve que tirá-lo às pressas do banho para que ele pudesse ver o caminhão do lixo passar. 
Davi fica ansioso e atento quando se aproxima o horário da passagem do caminhão da coleta – e se posiciona na janela do sobrado onde mora. Os garis Sandriano da Aparecida Rocha Guimarães,  Elielson Nascimento da Silva e Marcelo dos Reis Santos, já se acostumaram com a presença do menino na janela e até criaram um cumprimento. Entre eles se chamam carinhosamente de "Amigão". 
E nesta rotina da semana, para o pequeno Davi, basta um grito "Oi Amigão", um aceno, um sinal com o polegar para deixá-lo sorrindo, feliz. 
.
No último sábado (15), o garoto pode realizar seu sonho. Previamente combinado, ao chegar no endereço, o motorista Valdir Aparecido de Campos, diminuiu a velocidade, businou e parou em frente à casa do menino, que fica no Bairro Terra Nova. Além do aceno costumeiro, o motorista e os garis chamaram Davi, que desceu as escadas correndo para finalmente ver de perto e poder cumprimentar o " Amigão" que na verdade são quatro:  três garis e o motorista. O convite não foi só para subir na boleia do caminhão. Mais que isso, Davi foi convidado para dar uma volta no quarteirão.  Era nítida a expressão de felicidade no rostinho do menino. Na volta, ainda ganhou uma camiseta - que ele vestiu na hora para posar para a foto ao lado do "Amigão"  

Sobre as profissões que mais gosta, Davi disse que "Em primeiro lugar, professor, porque ensina a escrever. Em segundo, os garis. "
HISTÓRIA 
A paixão de Davi Alexandre Sesso pelo caminhão da coleta do lixo doméstico começou há pouco tempo, de acordo com Vivian. Ela explicou que, antes do sobrado, a família morava em um prédio no Parque Prezoto, onde Davi não tinha acesso à rua. Eles se mudaram para o sobrado há cerca de cinco meses e, a partir daí, Davi começou a ver o caminhão passando três vezes por semana da janela do sobrado. Assim, passou a se interessar pela rotina, reparar no movimento, nos gestos dos garis quando jogavam os sacos dentro do caminhão.
Sempre ficou atento quando os garis puxavam a alavanca e os sacos jogados desaparecendo em poucos segundos dentro daquele "moedor gigante".

Davi já ganhou alguns caminhões de lixo de brinquedo e explica, encantado, como funcionam. Mas os mais interessantes são alguns que ele mesmo construiu usando a imaginação criativa, com materiais como papel, papelão e muitos metros de fita adesiva. Ele faz questão de mostrar a riqueza de detalhes das suas criações, a alavanca, as vassouras.

Acompanhado do pai Alexandre, Davi foi convidado pela empresa Piracicaba Ambiental para visitar o Ecoparque Palmeiras, onde está instalada a Central de Tratamento de Resíduos – CTR. Depois de uma volta de carrinho conhecendo as instalações, o menino não tirava os olhos dos caminhões que entravam e saiam na CTR, iguais aquele que passa na sua casa. Ao final da visita, Davi ganhou do Gerente da
empresa, Danilo Rizollo Morais Baio, uma réplica do caminhão para unir aos outros da sua frota.



sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Conselho Consultivo da Estação Ecológica de IBICATU tomou posse esta semana




O Conselho Gestor da Estação Ecológica de IBICATU tomou posse nesta terça-feira, 18/12.  O evento no Centro Espírita Beneficente União do Vegetal, no bairro Floresta em Piracicaba/SP durante a reunião presidida pelo Sr. Antônio Álvaro Buso Júnior – gestor da Unidade.
A gestão da Unidade está sob responsabilidade da Fundação Florestal, entidade da administração pública indireta, vinculada a Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo – SMA.
O Conselho Gestor instituído através da Resolução SMA 166/2018, de 30/11 passa a ter a seguinte composição:
I -  Poder Público:
a) Pela Fundação para a Conservação e a Produção Florestal do Estado de São Paulo: Antônio Álvaro Buso Júnior - titular, e João Marcelo Elias - suplente;
b) Pelo Município de Piracicaba - Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente: Giovanni Batista Campos - titular, e Antônio Salvador Castello - suplente;
c) Pela Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento - Coordenadoria de
Assistência Técnica Integral - CATI: Sabrina Talitha Bakker – titular, e Ângelo Cesar Bosqueiro - suplente;
d) Pela Universidade de São Paulo - Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” - ESALQ: Flavio Bertin Gandara Mendes - titular, e
Ricardo Ribeiro Rodrigues - suplente;
II -  Sociedade Civil:
a) Pela Pira 21 Piracicaba Realizando o Futuro: Ely Eser Barreto Cesar - titular, e pela Associação Novo Encanto de Desenvolvimento Ecológico, Paulo Busato - suplente;
b) Pela Associação dos Fornecedores de Cana de Piracicaba - AFOCAPI: Rodrigo Cristofoletti - titular, e José Rodolfo Penatti - como suplente;
c) Pelo Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar de Piracicaba e Saltinho: Aparecida de Jesus Pino Camargo - titular, e Aparecida Lurdes Pino - suplente; e
d) Pela Cooperativa dos Produtores de Milhos de Piracicaba e Região - COPIMAYS: Noedir Pereira Granja - titular, e Pedro Ildeberto Polizel - como suplente.
O Conselho Gestor tem caráter consultivo e o mandato dos conselheiros será de 02 (dois) anos, renovável por igual período.
Além da posse dos conselheiros, durante a reunião foram estabelecidas as principais metas de trabalho do Conselho Gestor da Estação Ecológica de IBICATU para o ano de 2019, entre elas: a elaboração do Regimento Interno do Conselho Gestor e do Plano de Manejo da Unidade - documento que estabelece as normas, restrições para o uso, ações a serem desenvolvidas e manejo dos recursos naturais da UC, seu entorno e, quando for o caso, os corredores ecológicos a ela associados, podendo também incluir a implantação de estruturas físicas dentro da UC, visando minimizar os impactos negativos sobre a UC, garantir a manutenção dos processos ecológicos e prevenir a simplificação dos sistemas naturais.

Estação Ecológica de IBICATU


A unidade de conservação de proteção integral -  Estação Ecológica de IBICATU, situada no município de Piracicaba, Estado de São Paulo, possui uma área de 76,40 hectares, cujo objetivo é a proteção ao ambiente natural, a realização de pesquisas básicas e aplicadas e o desenvolvimento de programas de educação conservacionistas.
A Estação Ecológica (ESEC) de IBICATU situada na região centro-oeste de Piracicaba apresenta “altitudes entre 540-580m, próxima à linha de interflúvios que dividem as águas destinadas aos rios Piracicaba e Tietê”. O Bioma é Mata Atlântica (Floresta Estacional Semidecidual).
A área possui um patrimônio natural de valor inestimável por possuir uma paisagem cênica impar, representada por majestosos exemplares de jequitibás (Cariniana legalis), remanescentes da Floresta Estacional Semidecidual do interior do Estado, e outras espécies como a carrapateira (Metrodorea nigra), a laranjeira-do-mato (Actinostemon concolor), o guarantã (Esombeckia leiocarpa) e a peroba-rosa (Aspidosperma polyneuron). Tem ainda grande importância para a regularização climática, para manutenção dos recursos hídricos, para a estabilidade do solo, para abrigo e alimentação da fauna e como fonte de diversos recursos vegetais da região.
Por ser uma unidade de conservação do grupo de Proteção Integral, tendo sido
categorizada como Estação Ecológica, somente são permitidas pesquisas científicas e a visitação pública, via de regra, é proibida, permitindo-se somente quando com objetivos educacionais e de acordo com o que dispuser o Plano de Manejo, nos termos do art. 9º, §2º da Lei Federal nº 9.985/00 (SNUC).

Objetivos específicos - gestão da U.C.-Ibicatu
·         preservar e proteger os recursos naturais, bem como serviços ambientais da Estação Ecológica;
·         proteger e estimular a restauração das manchas de vegetação natural e do entorno, de
forma a propiciar, em futuro próximo, um maior segmento de Florestas;
·         preservar e proteger a flora e fauna, especialmente as espécies raras e ameaçadas de extinção;
·         propiciar a pesquisa científica orientada ao reconhecimento e manejo dos elementos naturais e da área do entorno, especialmente no que se refere a diversidade, ecologia das espécies e dinâmica populacional;
·         propiciar educação ambiental, voltada à conservação dos recursos naturais e culturais;
·         conduzir um estreitamento de relações entre a Estação Ecológica e a comunidade do entorno, por meio do desenvolvimento de atividades de educação e visitação monitorada;
·         estimular a interligação entre a vegetação da Estação Ecológica e dos fragmentos de floresta na região de entorno; e
·         realizar estudos com vistas ao estabelecimento de conectividade entre os diversos fragmentos florestais e matas ciliares.

Contextualização Histórica

Pertencente a um dos senadores de renome da República Velha - Manoel de Moraes Barros, irmão do primeiro presidente civil do Brasil, Prudente de Moraes - as terras das fazendas Boa Esperança, Ibicatu, Pico Alto - hoje Pau D’Alho - foram herdadas por seus filhos.
Um dos bisnetos, Armando de Moraes Barros conta que a fazenda foi dividida após a morte do senador. Entre os herdeiros das terras dominadas por cafezais, estava o avô do engenheiro - Paulo de Moraes Barros - que continuou a plantar café, algodão e a criar gado. Sem precisar ao certo quantos alqueires englobavam a fazenda original, o descendente dos Moraes Barros explica que depois da morte do pai dele - Paulo de Moraes Barros Filho - a fazenda foi novamente dividida.
Atualmente, a fazenda Boa Esperança, com 419 alqueires, pertence aos descendentes do senador. Quando pertencia ao avô, a fazenda tinha 1923 alqueires. Armando e Paulo de Moraes Barros Neto são os herdeiros vivos de Moraes Barros. Eles ficaram com a parte da fazenda original, onde havia a sede secundária, em ruínas desde a década de 1960. A casa sede ficava do outro lado, na fazenda Pau D’Alho, cujas terras foram compradas por outra família.
Fonte: Fundação Florestal / SMA SP / MMA Brasil.

Piracicaba recebe certificação no Programa Município VerdeAzul


Cidade figurou em 38º lugar entre os 69 municípios do Estado certificados

Piracicaba obteve o 38º lugar no Programa Município VerdeAzul (PMVA), com 84,85 pontos. Para receber a certificação, os municípios precisam atingir 80 pontos. Este ano, foram certificados 69 dentre os 645 municípios do Estado de São Paulo. O desempenho de Piracicaba em 2018 foi igual ao de 2016.

A premiação aconteceu na quinta-feira (20), no Palácio dos Bandeirantes, e contou com a presença do Governador do Estado Márcio França, do Diretor-Presidente da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) Carlos Roberto dos Santos, do Secretário do Estado de Meio Ambiente Eduardo Trani, e demais autoridades.

José Otávio Menten, secretário de Defesa do Meio Ambiente de Piracicaba, esteve na cerimônia representando o prefeito Barjas Negri, acompanhado do interlocutor do Programa em Piracicaba, o gestor ambiental Bruno Delarole.

"A participação de Piracicaba é muito importante por estimular a execução de trabalhos que resultam em benefícios à população. Nossa certificação demonstra que estamos no caminho certo. E também deixam claras as principais atividades que devemos realizar em 2019 para mantermos a certificação. Vamos usar o Selo VerdeAzul para buscar mais recursos para ações ambientais", afirmou Menten.

O Programa Município VerdeAzul começou em 2007, por iniciativa da Secretaria de Meio Ambiente do Estado, premiando os municípios com melhor desempenho em 10 diretivas ambientais. O objetivo é medir e apoiar a eficiência da gestão ambiental com a descentralização e valorização da agenda ambiental.

O ciclo do programa em 2018 destacou ação ambientais do município de Piracicaba nas diretivas de qualidade do ar, uso do solo, esgoto tratado e resíduos sólidos. Entre as cidades do porte de Piracicaba, também conseguiram certificação São José do Rio Preto, Campinas, Jundiaí, Franca, Bauru e Ribeirão Preto.

O programa

As ações propostas pelo programa que compõem as diretivas norteadoras da agenda ambiental local, abrangem os seguintes temas estratégicos: Esgoto Tratado, Resíduos Sólidos, Biodiversidade, Arborização Urbana, Educação Ambiental, Cidade Sustentável, Gestão das Águas, Qualidade do Ar, Estrutura Ambiental e Conselho Ambiental.
 
O Programa Município VerdeAzul acontece com o participação e apoio dos prefeitos e o trabalho intenso dos interlocutores. A iniciativa da Secretaria do Meio Ambiente de alcance local, beneficia municípios, munícipes e todo o Estado. O resultado do Programa é um termômetro que aponta as necessidades do município para que o governo possa atuar.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Pantio de sapucaia no Cecap marcam inicio das comemorações do Centenário


O plantio de três mudas de sapucaia no Centro Esportivo do bairro Cecap, localizado na avenida Eurico Gaspar Dutra, marcou o início das comemorações de Centenário dessa árvore-símbolo de Piracicaba, conhecida como árvore da paz. O ato contou com as participações do prefeito Barjas Negri; do secretário municipal de Defesa do Meio Ambiente, José Otávio Menten; da presidente do IHGP (Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba), Valdiza Caprânico; do coordenador de marketing do XV de Novembro de Piracicaba, Rodrigo Ferezini; e do presidente da Associação Amigos da Sapucaia, Cristiano Nardon.
Barjas destacou que a homenagem à sapucaia é justa, demonstrando o cuidado que a administração tem com a sustentabilidade do meio ambiente. “Vamos continuar realizando ações como essa em outras regiões da cidade”, disse. A importância da sapucaia também foi destacada por Menten. “Esse plantio mostra o amor que o piracicabano tem por essa árvore símbolo da paz, que já gerou a Associação Amigos da Sapucaia e a Banda da Sapucaia”, afirmou Menten. “Cada árvore plantada na cidade demonstra o respeito ao meio ambiente, gerando mais qualidade de vida”, completou.
Emocionada, Valdiza disse que o simbolismo representado pelo plantio da muda de sapucaia demonstra que a população já abraçou essa árvore centenária, prestando toda sua reverência com muito amor e carinho.
Programação

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Defesa do Meio Ambiente (Sedema), em parceria com o IHGP, Esporte Clube XV de Novembro e Associação Amigos da Sapucaia, preparou uma programação especial para comemorar o aniversário da árvore, que tem sua história ligada à celebração da paz. As outras quatro árvores serão plantadas na praça Coronel Antônio Bruno, Nova Piracicaba; Parque Santa Teresinha, em Santa Teresinha; bairro Campestre, no Parque Monte Líbano e a quarta na Chácara Nazareth.
A programação segue no dia 10/11, às 10h, quando o IHGP realizará, em sua sede (rua Professor José Martins de Toledo, 109, Jaraguá) uma palestra do historiador Armando Alexandre dos Santos, membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, sobre a participação do Brasil na 1ª Guerra Mundial.
Já no dia 15/11, sob a sombra da famosa sapucaia, às 11h será comemorado o centenário de seu plantio, além dos 105 anos de fundação do Esporte Clube XV de Novembro, os 22 anos dos desfiles da Banda da Sapucaia e a constituição mais recente da AssociaçãoAmigos da Sapucaia.
Nesse evento, serão prestadas homenagens ao funcionário público e conselheiro do XV, José Antonio do Amaral Caprânico, neto do semeador da sapucaia, Antonio Caprânico, e aos fundadores da banda da Sapucaia Paulo Sérgio Tomazielo e Ricardo Santana. Barjas e Menten receberão diplomas do IHGP.

ÁRVORE SÍMBOLO

A sapucaia, que mede aproximadamente 12 metros de altura e 4,80 metros de circunferência, ganhou atenção especial e proteção quando, em 12 de novembro de 2004, por meio do Decreto nº 10.935, foi tombada como Patrimônio Histórico e Cultural. Em 2009, já na Administração do prefeito Barjas Negri, pelo decreto 13.354, tornou-se imune ao corte. Além do seu valor histórico, e também por conta de seu valor paisagístico e ecológico, a sapucaia é constantemente acompanhada pelos técnicos da Sedema, que realizam vistorias periódicas, podas e exames, como ultrassonografia, para manter sua saúde e beleza.

Plantio de 100 mudas de sapucaia comemora centenário da árvore-símbolo


Numa ação conjunta da Prefeitura de Piracicaba, por meio da Secretaria de Defesa do Meio Ambiente (Sedema), o Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba (IHGP), o Esporte Clube XV de Novembro e a Associação dos Amigos da Sapucaia, comemorou na quinta-feira, 15/11, o centenário da árvore símbolo da cidade – a sapucaia localizada na rua Moraes Barros, esquina com a avenida Independência.
Na mesma data também foram comemorados, o aniversário de 105 anos do Esporte Clube XV de Novembro, os 22 anos da criação da Banda da Sapucaia e os três anos da Associação dos Amigos da Sapucaia.
Por iniciativa da presidente do IHGP, professora Valdiza Caprânico, em parceria com a Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente - Sedema, que após conversas com o secretário da Pasta, José Otávio Menten e os funcionários do Viveiro Municipal, definiram o calendário de evento do Centenário da Sapucaia.  
Durante a reunião realizada no Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba - IHGP, discutiram a possibilidade do plantio das 100 mudas de sapucaia pelos parques e jardins públicos de Piracicaba. A ideia prosperou e foi ampliada com os convites para participação também do XV de Novembro e da Associação dos Amigos da Sapucaia.
Após as reuniões, a programação foi definida e assim, no dia 27/10 as primeiras três mudas de sapucaia foram plantadas no Centro Esportivo do Bairro Cecap, localizado na avenida Eurico Gaspar Dutra, em evento que marcou o início das comemorações do centenário.
No dia 15/11, durante a cerimônia oficial do Centenário da Sapucaia, Valdiza Caprânico, cujo avô, Antônio Caprânico, teve a iniciativa de plantar a sapucaia, para celebrar justamente o final da I Guerra Mundial, em 1918, contou a história dessa importante árvore protegida por Lei.  
O IHGP prestou ainda homenagens ao representante do XV de Novembro, e neto de Antônio Capranico, José Antônio do Amaral Capranico, conselheiro do clube.
Entre os homenageados, estavam também os fundadores da Banda da Sapucaia, Antônio Claret Carraro, Paulo Sérgio Tomazielo, Graça Tomazielo, Ricardo Santana de Arruda Leme, Rubens Santa de Arruda Leme, José Roberto Fernandes, Paulo Roberto Rodrigues e André Fonseca.
Novos plantios, até completar as cem mudas comemorativas, deverão acontecer nas cinco regiões geográficas da cidade.
História da sapucaia
 Todas as 100 árvores plantadas recebem placas dos organizadores, como uma homenagem também aos brasileiros que morreram em decorrência da I Guerra Mundial. Segundo informações da professora Valdiza Caprânico, presidente do IHGP, a sapucaia centenária foi plantada pelo seu avô Antônio Caprânico em comemoração ao fim da 1ª Guerra Mundial, em 1918. Caprânico trouxe de sua fazenda várias mudas de sapucaia e veio plantando pelo caminho, até chegar a Piracicaba. De todas, só a da avenida Independência com a rua Moraes Barros, local onde havia um bosque, acima da casa da família, resistiu. O bosque, depois, deu lugar ao Estádio Barão de Serra Negra.
A árvore-símbolo da cidade, que mede aproximadamente 12 metros de altura e 4,80 metros de circunferência, ganhou atenção especial e proteção quando, em 12 de novembro de 2004, por meio do Decreto nº 10.935, foi tombada como Patrimônio Histórico e Cultural. Em 2009, já na Administração do prefeito Barjas Negri, pelo decreto 13.354, tornou-se imune ao corte.
Além do seu valor histórico, e, também por conta de seu valor paisagístico e ecológico, a sapucaia é constantemente acompanhada pelos técnicos da Sedema, que realizam vistorias periódicas, podas e exames, como ultrassonografia, para manter sua saúde e beleza.
Uma ação conjunta da Prefeitura de Piracicaba, por meio da Secretaria de Defesa do Meio Ambiente (Sedema), o Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba (IHGP), o Esporte Clube XV de Novembro e a Associação dos Amigos da Sapucaia, celebra o centenário da árvore símbolo da cidade – a sapucaia da rua Moraes Barros, esquina da avenida Independência.


terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Último “Educa Trilha na Escola” do ano acontece no Bairro Santo Antônio.




Na sexta-feira, 07/12  aconteceu o último evento do ano do projeto "Educa Trilha na Escola" na Escola Estadual Bairro Santo Antônio. O projeto conta com o apoio e a colaboração da equipe do Núcleo de Educação Ambiental – Nea da Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente Sedema.

Durante o evento os participantes realizaram uma visita com os alunos ao Ribeirão dos Marins e em seguida plantaram uma muda de araçá vermelho, uma espécie nativa, em uma área livre dentro da unidade encerrando assim, as atividades de 2018 do programa na Escola Estadual Bairro Santo Antonio.


Na opinião do analista ambiental da Sedema, Giovani Batista Campos, que acompanha os grupos nestas atividades da Estação Experimental de Tupi,
“o Projeto Educa trilha na Escola, contribui para os processos de educação ambiental no âmbito escolar no sentido de traçar um diagnóstico dos problemas do entorno da unidade escolar / bairro a bairro e a discussão de possíveis soluções”

Sobre o programa


O “Educa Trilha na Escola” é um programa realizado pelo Instituto Florestal (IF), Fundação Florestal (FF), Coordenadoria de Educação Ambiental (CEA), os quais são unidades da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, e Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente de Piracicaba (SEDEMA), com o apoio da Secretaria Municipal de Educação, da Diretoria de Ensino da Região de Piracicaba, da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” - ESALQ (Laboratório de Educação e Política Ambiental - OCA e Grupo de Estudos Desafios da Prática Educativa - GEDePE) e do Grupo Multidisciplinar de Educação Ambiental (GMEA).

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Piracicaba adere ao Geoparque Corumbataí


Piracicaba sediou ontem, 27/11, a partir das 19 horas, a última Caravana do Projeto Geoparque Corumbataí. O projeto é uma iniciativa que envolve a participação dos municípios de Piracicaba, Analândia, Corumbataí, Itirapina, Rio Claro, Ipeuna, Santa Gertrudes e Charqueada.

O projeto teve início em maio do 2017 quando uma comissão formada por professores da Unesp de Rio Claro e Unicamp de Limeira, realizou um Simpósio em Rio Claro. A partir de então, a Caravana tem visitado os oito municípios que compõem essa Bacia Hidrográfica.   

Entres os principais objetivos do Projeto estão: criar mecanismos para
preservar o patrimônio geológico para futuras gerações; educar e ensinar sobre temas geológicos e ambientais e prover meios de pesquisa para as geociências; assegurar o desenvolvimento sustentável por meio do geoturismo, com o objetivo de reforçar o respeito ao meio ambiente e estimular a atividade socioeconômica; gerar novas fontes de renda para a população local e atrair capital privado.

O Professor da Geologia e Diretor do Instituto da Unesp de Rio Claro, José Alexandre Perinotto, explicou que “juntos com outros professores, entre eles, a professora Luciana Cordeiro da Unicamp de Limeira e um grupo de alunos estamos realizando estas reuniões com objetivo de implantarmos um Geoparque aqui na Bacia do Rio Corumbataí que é composta por estes 8 municípios.
O professor explicou também que “durante estes encontros convidamos os representantes do Poder Público (Legislativo, Executivo), do Conselho Municipal de Turismo – Comtur, de entidades de classe, e universidades para participar. E, solicitamos que durante estas reuniões, estas cidades apresentem seus potenciais e atrativos turísticos do ponto de vista natural, histórico e cultural.

Durante este último encontro que aconteceu em Piracicaba, que contou com a presença do Prefeito Barjas Negri e de alguns secretários, vereadores, o Prefeito colocou à Prefeitura à disposição.  Barjas disse que “temos que ter um olhar, uma atenção especial para esta região, porque 90% do abastecimento de Piracicaba vem do Corumbataí. E o que acontecer nesta região poderá nos afetar nos próximos 10, 15, 20 anos.”

No final do encontro, o Secretário do Meio Ambiente, José Otavio Menten comentou sobre a inserção de Piracicaba no Projeto “a adesão de Piracicaba ao Geoparque do Corumbataí está de acordo com o Plano de Governo do Prefeito Barjas Negri, em busca de aprimorar a sustentabilidade e a qualidade de vida dos piracicabanos.”

Segundo o Secretário, “o evento evidenciou o envolvimento de diversas secretarias da Prefeitura de Piracicaba, entidades representativas da nossa cidades. As ações que estão sendo realizadas e planejadas na Bacia do Rio Corumbataí demonstram a
atenção que a região merece, como principal fornecedor de agua para a nossa população. ”

O Professor Perinotto explicou que “a partir de agora, a comissão deverá promover um novo encontro para o fechamento e definir os parâmetros para a implantação. Segundo ele, esta nova reunião deve acontecer em Limeira, mas que ainda não tem data definida e, em seguida, as oito cidades deverão compor um grande conjunto que é o Geoparque do Corumbataí.   

Geoparque

Geoparque, de acordo com a definição da Organização das Nações Unidas – Unesco, é uma área geográfica unificada onde sítios e paisagens de relevâncias naturais (geologia – rochas e fósseis, paisagens, cavernas e cachoeiras, etc.), históricas e culturais são administrados com base em um conceito de proteção, educação e desenvolvimento sustentável.

Os Geoparques Mundiais da Unesco, considerados de relevância geológica internacional, são administrados com base em um conceito holístico de proteção, educação. Sua abordagem ascendente, combinando a conservação com o desenvolvimento sustentável e, ao mesmo tempo, envolvendo comunidades locais, está se tornando cada vez mais popular.

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Piracicaba sedia amanhã (27/11), o encontro sobre o Projeto Geoparque Corumbataí


A Prefeitura de Piracicaba sedia nesta terça-feira, 27/11, a partir das 19 horas, uma apresentação sobre o Projeto Geoparque Corumbataí. O encontro acontece no Anfiteatro da Biblioteca Municipal, na Rua Saldanha Marinho,333.

O projeto Geoparque Corumbataí, é uma iniciativa dos municípios de Piracicaba, Analândia, Corumbataí, Itirapina, Rio Claro, Ipeuna, Santa Gertrudes e Charqueada.

Entres os principais objetivos do Projeto são: criar mecanismos para preservar o patrimônio geológico para futuras gerações; educar e ensinar sobre temas geológicos e ambientais e prover meios de pesquisa para as geociências; assegurar o desenvolvimento sustentável por meio do geoturismo, com o objetivo de reforçar o respeito ao meio ambiente e estimular a atividade socioeconômica; gerar novas fontes de renda para a população local e atrair capital privado.

Geoparque

Geoparque, de acordo com a definição da Organização das Nações Unidas – Unesco, é uma área geográfica unificada onde sítios e paisagens de relevâncias naturais (geologia – rochas e fósseis, paisagens, cavernas e cachoeiras, etc.), históricas e culturais são administrados com base em um conceito de proteção, educação e desenvolvimento sustentável.

Os Geoparques Mundiais da Unesco, considerados de relevância geológica internacional, são administrados com base em um conceito holístico de proteção, educação. Sua abordagem ascendente, combinando a conservação com o desenvolvimento sustentável e, ao mesmo tempo, envolvendo comunidades locais, está se tornando cada vez mais popular.


SERVIÇO:

Apresentação do PROJETO GEOPARQUE CORUMBATAÍ
Dia:  27/11/2018, das 19 às 21 horas.
Local: Anfiteatro da Biblioteca Municipal “Ricardo Ferraz de Arruda Pinto”
Rua Saldanha Marinho, 333

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Professores premiados do programa Educatrilha visitam o Núcleo Picinguaba em Ubatuba


Professores das escolas municipais, estaduais e particulares de Piracicaba premiadas no Programa "EducaTrilha na Escola"– Edição 2018, participaram da viagem pedagógica ao Núcleo Picinguaba, do Parque Estadual da Serra do Mar, em Ubatuba-SP, entre os dias 14 a 18 de novembro.

Ao longo do ano de 2018, as escolas realizaram projetos de educação ambiental envolvendo visitas à Estação Experimental de Tupi em Piracicaba e participaram de encontros formativos que as auxiliaram em todo o processo. Assim, o objetivo da viagem à Picinguaba foi proporcionar um momento prazeroso de aprendizagem e celebração aos educadores.


Nessa viagem, oferecida à cinco professores de cada escola premiada, os participantes ficaram hospedados na Praia da Fazenda e tiveram a oportunidade de conhecer cinco ecossistemas diferentes: a mata de encosta, a restinga, o manguezal, o costão rochoso e a praia.  Os educadores visitaram também uma comunidade quilombola e puderam conhecer um pouco sobre a história e a cultura locais.


As escolas participantes foram: E.M. Prof. Wilson Guidotti, Escola COOPEP, E.E. Prof. Manassés Ephrain Pereira, E.E. Prof. Jethro Vaz de Toledo e E. E. Bairro Santo Antônio. Sobre as atividades realizadas, o professor Charlies Geluzio Aparecido Marcelino Ponciano da Escola Municipal Prof. Wilson Guidotti comentou: “O Núcleo Picinguaba é um lugar maravilhoso, em que podemos entrar em contato com a natureza, explorar suas belezas e aprender muito sobre o bioma Mata Atlântica”.

As trilhas realizadas na unidade (Trilha Fluvial no Rio Fazenda, da Rendeira, Sensorial, do Jatobá e do Saco das Taquaras) foram conduzidas por monitores locais (funcionários do parque e pessoas da comunidade),
valorizando os conhecimentos tradicionais e propiciando uma rica aprendizagem sobre aspectos ecológicos, sociais, políticos e culturais. O professor Paulo Eduardo Carlim da Escola Estadual Bairro Santo Antônio resumiu a importância desse processo: “Acredito que o prêmio maior do concurso é o aprendizado sobre como promover a conservação ambiental por meio da educação. Estar também por uns dias no Parque Estadual da Serra do Mar foi absolutamente incrível!”.


Durante a estadia na unidade, houve um momento de troca de experiências com a equipe do núcleo Picinguaba. A gestora Cláudia Camila Faria de Oliveira apresentou o núcleo e suas especificidades, como a existência de cinco diferentes ecossistemas e de comunidades tradicionais no seu interior.
Maria Luísa Bonazzi Palmieri, especialista ambiental do Instituto Florestal e coordenadora do programa “EducaTrilha na Escola” em Piracicaba, descreveu todo o percurso formativo realizado ao longo do ano e os professores apresentaram os projetos que desenvolveram nas escolas.

A gestora Cláudia Camila parabenizou a todos pelos trabalhos e demonstrou interesse na continuidade da parceria: “É muito bom ver os resultados desse programa! No que depender de mim, podem contar com o apoio do Núcleo Picinguaba para as próximas edições, pois acredito que essa visita aqui complementa todo o trabalho educativo que vocês desenvolveram ao longo do ano”.

A importância do programa também foi enfatizada pela professora Tainá Rekã Wanderley de Pádua da Escola COOPEP: “O Educatrilha na Escola abriu muitos caminhos para os professores e, consequentemente, para os estudantes. Os encontros trouxeram muitas informações e o desenvolvimento do projeto colocou esses saberes nas aulas e, das aulas, para a prática. A viagem ao Núcleo Picinguaba mudou nosso olhar, trouxe o conhecimento às nossas mãos, permitindo-nos vivenciar o que está nos livros. Além disso, estivemos entre professores, o que rendeu ricas trocas e papos incríveis!”.

Ainda sobre a finalização da edição de 2018 do programa, além da viagem,
também como prêmio para as escolas vencedoras será realizado, em dezembro, um “Dia EducaTrilha na Escola” em cada uma delas, com atividades a serem planejadas em conjunto com os professores. “O objetivo é propiciar também aos estudantes um momento prazeroso de aprendizagem e celebração que complemente todo o trabalho realizado” – afirmou Maria Luísa Bonazzi Palmieri.

Sobre o programa

O “EducaTrilha na Escola” é um programa realizado pelo Instituto Florestal (IF), Fundação Florestal (FF), Coordenadoria de Educação Ambiental (CEA), os quais são unidades da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, e Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente de Piracicaba (SEDEMA), com o apoio da Secretaria Municipal de Educação, da Diretoria de Ensino da Região de Piracicaba, da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” - ESALQ (Laboratório de Educação e Política Ambiental - OCA e Grupo de Estudos Desafios da Prática Educativa - GEDePE) e do Grupo Multidisciplinar de Educação Ambiental (GMEA).

130 novas árvores foram plantadas na segunda edição do Programa Missão Verde Oliva


Na manhã desta sexta-feira (23/11), aconteceu a segunda edição do
Programa Missão Verde Oliva na região do Gran Park. Presentes ao evento o subtenente Luiz Fernando Barbosa Ferreira, o Secretário Municipal de Administração, Erotides Gil Bosshard, representando o Prefeito Barjas Negri e Antonio Celso Bisson, representando o Secretário do Meio Ambiente, José Otávio Menten.
Durante a solenidade, onde se comemora a formatura dos atiradores do Tiro de Guerra de Piracicaba de 2018, foram plantadas 130 mudas de espécies nativas entre elas: Açoita cavalo miúdo; Angico vermelho; Aroeira preta; Guamirim pitanga; Jacarandá graúdo; Pau d'alho; Jequitibá branco; Jequitibá rosa; Jacarandá de Minas; Jerivá; Aroeira pimenteira; Cambará; Capororoca; Mutamba preta; Timbozinho; Ingá Vera; Canudo de pito; Canafístula; Guarucaia; Leiteiro.

O programa

 Lançado Novembro de 2017, o Programa Verde Oliva é uma parceria
entre a Prefeitura de Piracicaba, por meio da Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente (SEDEMA), e o Tiro de Guerra de Piracicaba. Todos os atiradores que concluem o período de treinamento tem a oportunidade de plantar uma árvore. A turma de formandos de 2018 recebeu o nome de “Copaíba”.
O programa tem também um aspecto educativo de conscientização, ao
estimular os jovens quanto à importância da preservação das áreas verdes. Esta parceria contribui ainda mais para a melhoria da qualidade de vida da população e para a sustentabilidade da cidade por meio dos diversos benefícios trazidos pela arborização urbana.