sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Nea/Sedema inicia projeto piloto de educação ambiental voltado ao combate às queimadas urbanas.


A equipe do Núcleo de Educação Ambiental- Nea da Secretaria Municipal de Defesa do meio Ambiente- Sedema, recebeu na quinta-feira, 27/09, no Parque do Mirante, um grupo de alunos do “Instituto Formar”, para participar de um trabalho cooperativo de educação ambiental voltado para o combate às queimadas urbanas.
Para a atividade, as coordenadoras utilizaram a metodologia “Agenda 21 do Pedaço”, também conhecida como “Oficina do Futuro”, idealizada pelo Instituto Ecoar para a Cidadania, cuja proposta é realizar o planejamento de ações referenciadas em 4 etapas como: o Muro das Lamentações, a Árvore dos Sonhos, a Viagem na história do Pedaço e a Oficina do Futuro.
A partir da apresentação da metodologia, a bióloga Elizabeth da Silveira Nunes Salles e os
estagiários do NEA,  conduziram as atividades propondo para que os alunos contribuíssem com suas percepções em relação às queimadas em cada etapa proposta pela metodologia.
No “Muro das Lamentações” os alunos foram estimulados à registrar em cartões em forma de tijolos, suas percepções negativas em relação às queimadas, sendo que a maioria registrou a fumaça e seus efeitos na saúde humana, o fogo e suas consequências para a vida de animais silvestres e a fuligem como principais problemas causados pelas queimadas.
Após um breve diálogo sobre os problemas, o grupo foi novamente estimulado a emitir suas percepções positivas em relação às áreas verdes, parques, praças e florestas presentes na área urbana, em cartões em forma de folhas,
Segundo a bióloga do NEA, Elizabeth da Silveira Nunes Salles, “como resultados, surgiram registros sobre a importância das áreas verdes para a manutenção da qualidade do ar, a beleza das paisagens, a importância das árvores no sombreamento e qualidade de vida e a necessidade de viver mais próximo de ambientes naturais”. Mais uma vez os participantes foram estimados a trocarem suas impressões sobre a importância da conservação de áreas verdes, parques urbanos e plantio de árvores nas calçadas.
Na próxima etapa da metodologia do “Agenda 21 do Pedaço – conhecida como “Viagem na história do Pedaço” a equipe do Nea apresentou aos participantes os dados do INPE – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, em relação às queimadas no Brasil, destacando-se os três biomas que mais são afetados pelas queimadas (Amazônia, Cerrado e Caatinga) como também, dados sobre os focos de queimadas na cidade de Piracicaba.
Dentro desse contexto, todos observaram em um mapa dos focos de queimada e após análise, os alunos e a equipe do Nea verificarame concluíram que a maioria deles estão localizados na área urbana do município. E, a partir dessa análise, uma roda de conversa (“Tempestade de Ideias”) foi estimulada para que os alunos contribuíssem com ideias para o combate às queimadas e formas de atuação para uma campanha educativa.
Entre as principais ideias e sugestões apresentadas, destacaram-se: a necessidade de maior atuação da fiscalização nas notificações e aplicações de multas para quem ateia fogo e/ou tem terreno que favorece queimadas; - a utilização de cartazes, banners, faixas e “busdoor” com uma arte bastante apelativa para os problemas que surgem para a saúde das pessoas e vidas de animais, em consequência das queimadas; - trabalhar com a divulgação dessas campanhas em postos de saúde, unidades de pronto atendimento à saúde, rádios AM e FM, internet e redes sociais; - envolvimento de publico voluntariado para auxiliar na campanha;
A bióloga do Nea, explicou como os encaminhamentos  deverão ser feitos à partir das contribuições de todos os participantes, apresentando e destacando a utilização da ferramenta para planejamento estratégico (5W2H) para desenvolver a proposta. O professor Luciano, responsável pelo grupo, propôs a utilização da matriz “Esforço x Impacto” para a priorização das ações.
Como conclusão, a bióloga que, “além de contribuir para o processo educativo de combate às queimadas, esta  atividade também contribuiu para que os alunos conhecessem metodologias e ferramentas de gestão de processos que podem ser aplicadas em qualquer área, principalmente pelo fato dos alunos participarem de uma instituição que promove processos educativos para a inserção no mercado de trabalho”.

Raj é o nome escolhido para o tigre siberiano do Zoo.

Com 777 votos, o nome escolhido para o tigre siberiano do Zoológico Municipal é Raj.  A equipe do Zoológico Municipal há dois meses um concurso com três opções para que os visitantes escolhessem e colocassem na urna colocada no Zoo. A segunda opção foi Ragnar com 420 votos e a terceira foi Sidarta com 139 votos. 
O felino, que chegou recentemente, veio do Zoológico de Americana, tem seis anos e pesa aproximadamente 250kg. Nasceu em cativeiro no zoo de origem e ocupa o recinto no Zoo de Piracicaba que antes era de Léo, leão que veio da Bahia e que morreu aos 15 anos em julho do ano passado. O espaço foi adaptado e revitalizado para acomodar o tigre com conforto e segurança.
De acordo com o diretor do Zoo, o veterinário Thiago Vilalta, diferente dos leões, os tigres siberianos são animais extremamente territorialistas, de hábitos solitários, o que os leva a viver isolados, desacompanhados até mesmo de animais da mesma espécie. “Em Americana ele vivia no mesmo zoológico que o pai. Apesar disso, nunca se encontravam, justamente pelo risco que ofereciam mutuamente. Enquanto um estava em exposição, outro ficava no reservado e a troca de espaços era feita diariamente”, explicou.
Esse fato resultou no encontro de interesses entre os responsáveis pelos zoológicos das duas cidades. Priorizando o bem-estar dos animais e com o objetivo de minimizar o estresse gerado pelo manejo ao qual pai e filho eram submetidos em Americana.
“Desde a morte do Léo (leão), buscávamos com zoos parceiros algum felino que pudesse ocupar o recinto que estava vazio. Há anos mantemos uma boa relação com os colegas de Americana, que nos informaram do ocorrido com os tigres siberianos. Então, houve o acordo para que o animal viesse por empréstimo a Piracicaba, onde viverá até que o zoo de Americana o solicite novamente, ou se obtermos em caráter definitivo um felino de grande porte”, relatou o diretor do zoo.
HÁBITOS
Das seis espécies de tigres catalogadas o siberiano é a maior, além de ser também o maior felino do planeta. Originários do continente asiático, podem chegar a 300kg e ter 3,20m de comprimento. Excelente caçador, alimenta-se especialmente de cervos, antílopes e búfalos. Vivendo em cativeiro, recebe diariamente aproximadamente 5kg de carne, sendo necessário cumprir, por orientação veterinária, um dia em jejum por semana.
Em média, os animais nascidos reclusos vivem até os 25 anos. O tigre siberiano corre alto risco de extinção na natureza, havendo atualmente mais exemplares vivendo em cativeiro do que livremente. "O intuito dos zoos em todo o mundo é a preservação das espécies, proposta que vai além
do simples entretenimento público. O caráter destes locais mudou muito com o passar dos anos, visto que hoje os animais vivem com o mínimo de estresse e estão cada vez mais condicionados à aceitação humana", disse Thiago Vilalta.

Nea/Sedema realiza atividades de educação ambiental na área da nascente modelo do Parque Santa Cecília.


Desde que a nascente do córrego do Parque Santa Cecília foi definida como Nascente Modelo pela Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente – Sedema, algumas ações educativas, visando a conservação da nascente e do córrego, vem sendo realizadas pela equipe do Núcleo de Educação Ambiental – NEA/Sedema.
 A primeira ação, realizada em outubro de 2017, envolveu professores participantes do curso para formação de agentes multiplicadores “Água na Bacia do Rio Piracicaba: Uso Sustentável, Qualidade de Vida e Saúde”, aconteceu em parceria entre as Secretarias: Sedema, Semae e Educação,
Na ocasião, os professores puderam conhecer, por meio de uma visita monitorada ao micro bacias urbanas as nascentes do córrego e puderam verificar os impactos causados por ações antrópicas na área como:  queimadas, erosão e descarte irregular de resíduos. Como resultado dessa visita, os educadores sugeriram algumas ações, entre elas, de muita relevância, é o envolvimento da comunidade do entorno na proteção das nascentes e conservação do micro bacia local.
Diante disso, a equipe de educação ambiental criou um plano de ação com objetivo
de envolver a comunidade do entorno. Este trabalho teve início dia 22 de setembro, por meio de uma visita monitorada à nascente e uma atividade lúdica para entendimento do conceito de bacias hidrográficas. Após o reconhecimento da área da nascente e a identificação de diversas ações necessárias para a conservação, o grupo participou de uma atividade baseada na dinâmica “A Bacia em Mim” (idealizada pela Instituto Terra Mater / Iandé - Publicação “De olho na Bacia”).
Esta atividade, os monitores utilizaram tecidos não tecidos (TNT) para explicar a formação de uma bacia hidrográfica, com seus divisores de água, nascentes e afluentes, o grupo percebeu o quanto as diversas ações antrópicas interferem no território do micro bacias e como isso tem impacto nas relações com a bacia principal.
A partir das ações identificadas na visita à nascente, mediado pela bióloga Elizabeth S. Nunes Salles da SEDEMA, aconteceu uma troca de sugestões para definição de um plano efetivo de ação de conservação, como plantios de árvores nativas na área da APP, intensificação no combate às queimadas na área do entorno e realização de atividades continuadas de educação ambiental com os moradores e alunos de escolas municipais do
entorno.




quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Sedema fiscaliza e orienta os postos sobre armazenamento e descarte correto de embalagens de lubrificantes


Fiscais da Divisão de Controle e Fiscalização – DCF, da Secretaria Municipal de Defesa do
Meio Ambiente-Sedema em Piracicaba, realizam um trabalho programado durante o ano para orientação e fiscalização em todos os postos de combustíveis e demais locais geradores das embalagens de óleos lubrificantes, com objetivo de garantir que estes locais efetuem o armazenamento e promovam a destinação correto das embalagens pós-consumo.
Na última segunda-feira, 24/09, os fiscais realizaram uma vistoria no Posto Palladio, localizado na Rua Professor Heitor Pinto Cesar, centro da cidade, para orientar os funcionários e responsáveis, sobre esta ação importante e necessária para evitar danos ambientais. 
Reinaldo Rabelo, responsável pelo DCF/Sedema explicou: “de acordo com o Plano Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS (Lei 12.305/2010), as embalagens de óleos lubrificantes não são resíduos da responsabilidade do poder executivo e sim dos geradores “Art. 33.
E, segundo Reinaldo, “este tipo de resíduo deve ser descartado de forma independente do serviço público de limpeza urbana. Os geradores, postos de gasolina e outros, são obrigados a estruturar e implementar sistemas de logística reversa (promover o retorno das embalagens destes produtos após o uso pelo consumidor). Portanto, cabe aos fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes darem uma destinação correta das embalagens destes produtos. ”
“O poder público municipal orienta os responsáveis pelos estabelecimentos sobre o armazenamento corretos das embalagens e destinação ao programa “Jogue Limpo” e fiscaliza, mediante comprovante de destino, sob penalidades caso a falta de descarte correto”, finalizou Rabelo.

O programa “Jogue Limpo”, uma ação de parceria de logística reversa das embalagens de óleos lubrificantes entre os fabricantes, importadores, comerciantes, atacadistas e consumidores. O programa foi criado, através de um acordo setorial, em 2012, firmado entre o Governo do Estado de São Paulo e Sindicato dos Fabricantes de Óleo (Sindicom) e sindicatos de revenda (Resan, Regran, Recap e Sencopetro), com anuência da Cetesb.
Em Piracicaba, o Jogue Limpo, atua desde 2014, com apoio da Prefeitura Municipal de Piracicaba através Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente- Sedema.  De outubro de 2016 a agosto de 2017, foram coletados 2.248,2 Kgs de embalagens de óleo lubrificante. Neste período, um ano depois, foram coletados 2.620,2 kgs de embalagens de óleo lubrificantes.
Embalagens
Os lubrificantes automotivos são vendidos, diariamente, nos postos de troca de óleos. Nesses locais, os frascos do produto, pós-consumo, contaminados com resíduo oleoso, permanecem até que sejam coletados e, na grande maioria dos casos, acabam destinados para lixões ou aterros.
As embalagens de óleos lubrificantes são compostas, basicamente, do material plástico (polietileno de alta densidade) e do óleo lubrificante remanescente e seus aditivos. A destinação final, pós-uso, desses materiais, representa uma das grandes preocupações da sociedade atual com relação às questões ambientais. Os rejeitos plásticos se degradam muito lentamente, acumulando no meio ambiente, contribuindo com o agravamento de vários problemas como impermeabilização dos solos, aumento do volume de lixões com proliferação de doenças, assoreamento dos rios e lagos, dentre outros.  



segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Plante Vida da primavera acontece no Morro do Castelinho


 A Prefeitura de Piracicaba, por meio da Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Sedema), promoveu na manhã de sábado (22), o Plante Vida da Primavera, na área verde do Morro do Castelinho, local do primeiro plantio do programa e onde já ocorreram outros plantios. Participaram cerca de 50 casais.
Além do prefeito Barjas Negri, participaram também o secretário de Defesa do Meio Ambiente, José Otávio Menten, e representantes do hospitais parceiros, como o presidente da Unimed, Carlos Joussef, além de pais e parentes dos recém-nascidos.
Foram plantadas as espécies pau marfim, peroba rosa, cana fístula, guaritá, jequitibá branco, jequitibá rosa, caquizinho, pau ferro, supuva branca, mogno, açoita-cavalo-graúdo, ipê branco, ipê amarelo e ipê roxo anão.
Barjas lembrou que Piracaicaba é uma cidade sustentável e com boas experiências na preservação do meio ambiente. “O plante Vida é um projeto vitorioso e exemplo para outros municípios”, afirmou.
Menten disse que uma das maiores preocupações da sociedade hoje é a qualidade de vida e Piracicaba tem se pautado por trabalhar muito nesta área. “Nos últimos anos, foram mais de 1.300 ações integrando o programa Piracicaba Mais Verde, entre eles o Plante Vida”, ratificou.Entre os casais presentes no plantio coletivo estava Daiane Santana Silva, que acompanhado do marido e filhos, levou o bebê Pierre Santana Silva, de 4 meses, que nasceu no Hospital da Unimed. “Fizemos questão de participar desse ato ao lado do nosso filho, para que desde cedo tenha contato com a natureza e futuramente possa ser uma pessoa preocupada com a preservação do meio ambiente", destacou Daiane.

Plante Vida - O projeto é coordenado pelo Núcleo de Educação Ambiental (NEA) da Sedema. Em Piracicaba nascem, em média, 15 crianças por dia, totalizando uma média de 5.500 crianças ano. Lançado em 2007 com o objetivo de fortalecer o programa de arborização Piracicaba Mais Verde, este projeto acontece há 11 anos, sempre em parceria com as maternidades dos hospitais dos Fornecedores de Cana, Santa Casa e Unimed. Desde sua criação até agora, mais de 50 mil novas árvores já foram plantadas.

Participantes do “Bio na Rua “ conheceram “Edificação Modelo de Sustentabilidade” no Zoológico/Paraíso da Criança.


Os dez itens foram apresentados pela equipe do NEA que fizeram com que a edificação da NEA Paraiso/Zoológico fosse considerada um modelo de sustentabilidade.

Durante o evento “Bio na Rua”, que aconteceu no domingo (16/09), no Zoológico Municipal de Piracicaba/Paraíso da Criança, a equipe do Núcleo de Educação Ambiental NEA/SEDEMA tiveram a oportunidade de apresentar aos participantes do evento os elementos que tornaram a edificação do Núcleo de Educação Ambiental instalada no Paraíso da Criança/Zôo como modelo de sustentabilidade.




Esta edificação abriga dez itens e os participantes do Bio na Rua puderam conhecer dentro de um circuito:

1.    Uso de Lâmpadas fluorescentes:
            O uso de lâmpadas fluorescentes já é uma prática comum na maioria das residências. Porém, alguns participantes desconheciam que essa iluminação pode ser potencializada utilizando-se placas refletoras nas luminárias. Além disso, eles foram orientados pela equipe do NEA sobre os problemas de descarte irregular desse tipo de lâmpada e apresentados ao serviço de coleta de lâmpadas existentes em todos os ecopontos e em alguns parques urbanos da cidade.

2.    Interruptor individualizado de iluminação:
Ainda sobre a questão de redução do consumo de energia, os visitantes receberam informações sobre a importância da instalação de interruptores individualizados instalados nos espaços do Núcleo, acionados somente quando há uso de algum espaço específico. No caso, a maioria das residências já possuem esse tipo de sistema, porém os participantes foram orientados para que ficassem sempre atentos ao uso sustentável da energia em suas residências.


3.    Iluminação natural e ventilação cruzada:
            A iluminação natural existente naquele espaço contribui para que o salão principal não tenha necessidade de estar com as lâmpadas acesas em dias de céu claro. As janelas grandes favorecem a entrada de luz natural e também de ventilação cruzada. Esse exemplo foi apresentado como modelo, podendo serem adotadas outras diferentes formas de iluminação natural em residências: como uso de claraboias ou domos em banheiros, telhas de vidro em alguns pontos mais escuros de garagens ou quintais e janelas amplas. Os participantes foram orientados a manter sempre portas e janelas abertas em dias quentes favorecendo a ventilação cruzada e minimizando o uso de ventiladores e aparelhos de ar condicionado.
4.    Sistema de Captação de Água de Chuva:

            Os participantes do Bio na Rua conheceram detalhes sobre o sistema de captação de água de chuva para que possa ser reaproveitada para a limpeza do local e a receberam orientações sobre como esse sistema pode ser facilmente implantado nas residências.

5.    Utilização de madeira reflorestada como estrutura de cobertura e portas                         A equipe do NEA mostrou aos participantes do evento, algumas estruturas como:  as colunas, o madeiramento do telhado e portas do espaço onde foram utilizadas madeiras de reflorestamento. Eles também foram informados sobre os benefícios obtidos pela utilização desse tipo de madeira e os prejuízos ambientais causados pelo comércio ilegal de madeiras.      
                                                                                
6.    Plantio de árvores nativas 
            O entorno da edificação é muito rico em árvores nativas e sob orientação da equipe da Sedema e os participantes do evento receberam algumas informações sobre a importância da arborização urbana e os serviços disponibilizados pela Sedema, por meio do Viveiro Municipal de Mudas. Neste ítem, os técnicos destacaram as espécies de ipês que muito atraem pela sua florada, as espécies frutíferas que atraem aves, como a pitanga e o oiti e ainda algumas espécies de importante relevância ambiental como o Pau-brasil e o Palmito Jussara.

7.    Área do entorno permeável
Os técnicos chamaram a atenção dos participantes do evento Bio na Rua para que observassem o solo do entorno da edificação, destacando a importância de mantê-lo com plantio de grama ou mesmo com folhas que caem das árvores, a fim de formar a camada de matéria orgânica tão importante para a qualidade do solo. Além disso, os monitores alertaram sobre a importância da absorção da água pelo solo para irrigação das árvores e abastecimento do lençol freático. Com isso, os visitantes foram incentivados a manterem ou transformarem seus quintais e calçadas em áreas permeáveis.

8.    Acessibilidade
No local onde o evento foi realizado, os monitores destacaram a existência de rampa de acesso ao espaço, favorecendo a livre circulação de cadeirantes e pessoas com dificuldades na locomoção.

9.    Separação de Lixo orgânico e reciclável
            Além da edificação do Núcleo de Educação Ambiental – NEA na área externa do Paraíso/Zoológico, os participantes do evento puderam ver as lixeiras instaladas para a coleta seletiva (três caixotes identificados para coleta de materiais recicláveis, materiais compostáveis e rejeitos). Com isso, os monitores puderam explicar a classificação e a separação de resíduos sólidos domésticos para que possa ser aplicado nas residências. Todos os participantes receberam panfletos explicativos sobre a forma correta de separar materiais recicláveis e a programação semanal da coleta seletiva nos bairros.

10. Bicicletário
Os participantes foram informados sobre a presença de um bicicletário naquele local, com o objetivo de estimulá-los a utilizar a bicicleta como meio de transporte, além de receberem informações sobre outras formas de mobilidade sustentável.


Piracicaba participa da Jornada do Patrimônio Paulista 2018

Neste final de semana, Piracicaba participou da Jornada do Patrimônio Paulista 2018. O objetivo deste evento é valorizar a história paulista, aproximar o público de patrimônios históricos e culturais e enaltecer o potencial turístico, por meio de visitas guiadas a patrimônios edificados, roteiros de passeios e atividades pela cidade.
Os roteiros em Piracicaba incluíram o Parque do Engenho Central, o centro da cidade, a Colônia Tirolesa, o Cemitério da Saudade e o Bairro Monte Alegre, lugares que oferecem reconhecimento material e imaterial das diversas camadas históricas, possíveis de encontrar a diversidade cultural da população que a construiu.


Cemiterio da Saudade
A visita contou com apoio de voluntários, estudantes do curso de Turismo do Senac, que acompanharam os visitantes, destacando os aspectos particulares de cada bem cultural.
Neste ano, 42 municípios aderiram ao programa da Jornada do Patrimônio Paulista 2018. Sob responsabilidade da Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico (UPPH), o evento teve um projeto piloto em 2017, quando chegou a 15 municípios. A edição de 2018 tem como foco não apenas o patrimônio edificado, material, mas também o dito imaterial, que abrange o conjunto de saberes de um grupo, como as festas, o artesanato e a culinária de cada região.
Em Piracicaba o evento aconteceu através da Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo (SemacTur) e do Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Piracicaba (Codepac), em parceria com o Sesc, Senac e Pró-Cultura através do Festival Curau.
Roteiros monitorados:
- Cemitério da Saudade iniciando pela árvore Sapucaia (centenária/ tombada através de Decreto Municipal) localizada na praça Ivo Ducatti (rua Moraes Barros, esquina com avenida Independência) Campo do XV.   Na parte externa do Cemitério os participantes conheceram os murais artísticos depois na parte interna puderam conhecer os mausoléus de figuras ilustres: Dr. Paulo de Moraes Barros; Dr. Alfredo Cardoso; Comendador Luciano Guidotti; Mons. Jerônimo Gallo; Senador Manoel Moraes Barros; Prudente José de Moraes Barros (tombado); Barão de Rezende; João de Almeida Prado; Serafino Corso; José Pinto de Almeida (tombado); Padre Galvão; Francisca Carolina de Barros Morato; Barão de Serra
Negra; Olívia Bianco; Francisca Elisa da Silva; Nelson Machado Santana (menino da chupeta); Almeida Júnior (tombado); Erotides de Campos; Branca de Azevedo; Fortunato Losso Netto; Maria Benedita Penezzi (Ditinha Penezzi); Thales Castanho de Andrade; Capela Mortuaria dos Frades Capuchinhos de Piracicaba; Mário Dedini; João Chiarini; Leandro Guerrini e Jaçanã Guerrini, Além disso, puderam conhecer os  Túmulos Protestantes; Mausoléu - Heróis de 1932; Marina Tricânico, e o portal da Praça da Saudade.
No Cemitério da Saudade, o grupo foi recepcionado e acompanhado pela tecnóloga em Gestão Pública, Elaine M B Seguezz, da Sedema e do historiador e associado da ABEC - Associação Brasileira de Estudos Cemiteriais, Paulo Renato Totti. O secretário do Meio Ambiente, José Otávio Menten,  marcou presença no Cemitário da Saudade durante a visita do grupo de participantes da Jornada. 

- Engenho Central incluiu o Museu da Água, Mirante da Ponte; Parque do Mirante; Aquário Municipal; edifícios da antiga usina; Teatro Erotídes de Campos.

- Colônia Tirolesa de Piracicaba (situada no bairro Santa Olímpia) incluiu a praça Padre Jacob Stenico, com apresentação da história da imigração por meio dos monumentos existentes como o Via Sacra; Igreja Matriz Maria Estrela da Evangelização; Museu de Santa Olímpia, percurso histórico da colônia tirolesa até os dias de hoje;  produtos e artesanato local produzidos pelos moradores (vinhos, geléias, doces, compotas, artesanato em madeira, dentre outros), e  Café Tirol.

- Bairro do Monte Alegre – Na Usina de Empreendimentos puderam assistir vídeo institucional apresentando a usina, sua missão, ideias e valores; projetos e apresentação do histórico de todas as obras de intervenção e restauro na área executadas pela Urbem Arquitetura.   e Visita à Capela de São Pedro.

- Centro de Piracicaba: Museu Prudente de Moraes, Passo do Senhor do Horto; Monumento ao Soldado Constitucionalista; Rádio Difusora; Clube Coronel Barbosa; Teatro São José; Monumento Luiz de Queiroz; Catedral de Santo Antonio; Ponto de Bondes; Antiga Empresa Elétrica; Centro Cultural Martha Watts; Sociedade Sírio-Libanesa; Societá Italiana; Mercado Municipal; Catedral Metodista; E. E. Barão do Rio Branco; Teatro Municipal Dr. Losso Netto; Conjunto arquitetônico da Rua Gov. Pedro de Toledo; Igreja do Sagrado Coração de Jesus; Igreja de N. S. Boa Morte e Assunção; Palacete Giuliani; Pinacoteca Miguel Dutra e finalização da visita na Estação da Cia Paulista

sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Dia da Arvore


A secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente – Sedema comemorou o Dia da Arvore junto com os parceiros do Viveiro Municipal: o Consórcio PCJ, a Oji Papéis Especiais.
Durante o evento “Viveiro de Portas Abertas” entre as atividades que marcaram a data aconteceu o plantio simbólico de mudas de Ipê Branco (árvore símbolo do Consórcio PCJ) e distribuição de mudas nativas à população.
O Secretário do Meio Ambiente – José Otávio Menten, comentou sobre a data: “ uma das maiores preocupações da sociedade hoje é a qualidade de vida. E a qualidade de vida se reflete através de várias ações, mas a árvore é considerada um símbolo do meio ambiente pelos seus inúmeros benefícios: por tornar o ambiente mais favorável e ainda proporcionar também uma maior diversidade de animais entre muitos outros."
Piracicaba tem se pautado por trabalhar muito nesta área. Nos últimos anos mais de 1.300 000 árvores foram plantadas na cidade através do programa Piracicaba Mais Verde. Entre as ações do programa está o Plante Vida, onde para cada criança nascida se planta uma árvore. Há também o Programa Verde Oliva, onde cada atirador que conclui sua atividade no Exército Brasileiro também planta uma arvore”.
Continuando, menten comentou "Nossa cidade é privilegiada por contar com árvores notáveis: a Sapucaia da esquina do Campo do XV (que este ano completa cem anos), outra Sapucaia plantada na Praça do Largo dos Pescadores; os Jequitibás existentes no Parque do Mirante, na Estação Ecológica de Ibicatu, que devemos participar mais da sua gestão. O secretário citou também o Ipê amarelo da Avenida Cruzeiro do Sul, o baobá da Praça do Cemitério da Saudade e a Figueira dentro do estacionamento do Carrefour.  
Eva Mazocchi, natural de Americana, moradora próximo ao Viveiro há dois anos, diz que costuma buscar mudas no Viveiro com frequência. Ela comentou que já chegou a levar 20 mudas de uma vez.-  “ plantei muitas mudas na calçada, levei algumas frutíferas, como a pitanga preta que eu não conhecia e plantei no meu quintal. Coisas comuns, nada de extraordinário. Nossa chácara já está bem completa.” 
 “É um privilégio poder morar no meio de tantas árvores, é saudável, uma qualidade de vida excepcional. Segundo a moradora, as pessoas deveriam plantar mais árvores na cidade."tem gente que diz que não vai plantar árvores porque dá trabalho, mas não vejo como trabalho: as folhas que caem quando damos uma destinação correta a elas, vira uma adubação. Há algumas árvores que produzem frutinhas que atraem passarinhos. Então os benefícios são bem maiores", finalizou Eva.  
Wagner Takada, natural de Limeira, mora na Vila Monteiro, levou o pequeno Matias para conhecer o Viveiro no Dia da Árvore. Takada aproveitou e escolheu algumas mudas para plantar no seu quintal. Sobre o Dia da Arvore, disse que " é muito profundo se formos pensar sobre a importância de uma árvore para gente. Arvore é vida. E não estou pensando só no meu filho, acho importante pensarmos nos outros também, no vizinho, no irmão, em todo mundo. No planeta!"

Sedema comemora Dia da Árvore no Viveiro Municipal com o Consórcio PCJ, a Oji Papéis



Especiais e a Secretaria de Defesa do Meio Ambiente (Sedema). Durante o evento Viveiro de Portas Abertas, diversas atividades marcaram a data, como o plantio simbólico de mudas de Ipê Branco (árvore símbolo do Consórcio PCJ), distribuição de mudas nativas à população.
O Consórcio PCJ e a Oji Papéis Especiais parceiros importantes para o Viveiro Municipal que durante o evento fizerem a entrega de melhorias realizadas por eles no Viveiro: compra de uma nova bomba de captação de água, telas de proteção do sol para os ambientes de reprodução de mudas nativas, compra de sementes e instalação de placas sinalizadoras para o local.

O Secretário do Meio Ambiente – José Otávio Menten, falou sobre o evento patrocinado pelo Consórcio e pela Oji Papéis especiais: “ é muito importante para Piracicaba já que esta demonstração clara de parceira, com a aquisição de equipamentos e produtos importantes que estão sendo doados e da sinalização que auxilia a localização,  para facilitar para que a população tenha mais acesso ao Viveiro Municipal, um local cada vez mais importante para Piracicaba.
O Viveiro está completando 23 anos naquele local e Menten lembrou que ele “faz parte de
uma das nossas três áreas que integram o projeto Jardim Botânico que está sendo implantado pela Prefeitura”.
Outro ponto importante lembrado pelo secretário é a escolha da data, 21 de setembro, onde se comemora o Dia da Árvore: “ a árvore é um símbolo importante da sustentabilidade, uma das principais metas do Governo Barjas, sempre buscando metas para melhor qualidade de vida para a nossa população. “
O Prefeito Barjas Negri agradeceu a parceria com o Consorcio e com a empresa que possibilitou a realização de algumas intervenções no Viveiro. “ Esta parceria faz com que possamos avançar o trabalho de uma coisa que é importante para a cidade e também da região.  
Sobre o Projeto de implantação do Jardim Botânico, Barjas lembrou que era apenas um projeto teórico idealizado por alguns técnicos há muitos anos atrás e que hoje finalmente colocamos em prática e é uma realidade.
Segundo o Prefeito, o projeto Jardim Botânico em Piracicaba é diferenciado, baseado em três pés, ou seja, será instalado em três locais: Parque Natural, a área do Engenho Central conhecida como Esterqueira e o próprio Viveiro Municipal   
Representando o Presidente do Consórcio, o Coordenador Geral da Agência de Água PCJ/Consórcio PCJ, Francisco Carlos Castro Lahóz,
Francisco comentou que a Oji Papeis Especiais está “ressignificando valores que a Prefeitura, seus Secretários e o Prefeito sempre valorizaram”.

Lahóz elogiou o Prefeito e a equipe da Sedema por colocarem em pratica o Projeto Botânico. Chicão lembrou que conhecia de 1987 e agora ao saber que estes locais serão transformados em Jardim Botânico é presente que está sendo ressignificado.
O presidente da Oji Papéis Especiais, Agostinho Monsserrocco comentou sobre as ações no Viveiro: “apoiarmos uma iniciativa dessas é motivo de muito orgulho. E muito importante uma iniciativa dessas. Primeiro, porque dá a chance de preservarmos o nosso rio com as mudas sendo plantadas em toda a Bacia. E em segundo lugar, porque existe um estigma de que indústria de papel só sabe derrubar árvores e nós provamos que isso não é verdade. É uma agricultura sustentável que preserva florestas nativas. ”
A iniciativa faz parte de uma parceria entre o Consórcio PCJ e a Oji Papéis Especiais, que ainda prevê ações de sensibilização e reflorestamento ciliar por meio do Programa de Proteção aos Mananciais da entidade, com investimentos previstos de R$ 15 mil. "O investimento no Viveiro de Piracicaba, além de beneficiar o município, faz parte de um grande projeto de revitalização de mananciais, já que grande parte das mudas produzidas são utilizadas nos reflorescimentos do Consórcio PCJ, que atinge toda a área das Bacias PCJ, disse o coordenador de projetos e responsável pelo Programa de Proteção aos Mananciais do Consórcio PCJ, Guilherme Valarini.
O Programa de Proteção aos Mananciais do Consórcio PCJ possui 27 anos de atuação e já
plantou mais de 4,5 milhões de mudas nativas em 2.700 hectares de matas ciliares, o equivalente a 3.610 campos de futebol. Essas ações são possíveis graças às parcerias que a entidade possui com 15 viveiros municipais espalhados pelas Bacias PCJ. O Viveiro de Piracicaba é o maior produtor da região e contribui com 50 mil mudas nativas em reflorestamentos nas Bacias PCJ.
Atuação em prol dos ODS
O evento Viveiro de Portas Abertas também foi registrado como uma das iniciativas que farão parte da celebração do aniversário de promulgação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), promovido pela Organização das Nações Unidas (ONU).
Pelo link http://www.act4sdgs.org/partner/consorcio_pcj pessoas do mundo todo acompanharão a atividade proposta pelo Consórcio PCJ para marcar essa importante data. O evento atende às premissas dos ODS 6 (água) e 15 (vida terrestre). Os ODS foram anunciados, em 25 de setembro de 2015, durante a Cúpula de Desenvolvimento Sustentável e discutidos na Assembleia Geral da ONU, onde os Estados-membros e a sociedade civil negociaram suas contribuições. O desenvolvimento sustentável é definido como o desenvolvimento que procura satisfazer as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade das futuras gerações de satisfazerem as suas próprias necessidades.
Para marcar a data de aniversário das ODS, a ONU criou a campanha We #Act4sdgs e o site www.act4sdgs.org pelo qual milhares de pessoas, organizações e instituições de todo o globo poderão cadastrar ações que debaterão os ODS, sensibilizando a comunidade sobre a importância dessas metas.
Sobre a Oji Papéis Especiais
Com capacidade produtiva de 120 mil toneladas de papel por ano, a empresa é líder nacional do setor de papéis especiais (térmicos e autocopiativos). Faz parte do Grupo OJI Holdings Corporation, fundado em
1873, no Japão. Atualmente conta com 35 mil profissionais e está em quatro continentes com mais de 300 subsidiárias e unidades fabris. Em 2011, o grupo assumiu o controle da fábrica de papéis especiais de Piracicaba e iniciou suas operações no setor no Brasil. A sustentabilidade é um dos principais valores da Oji Papéis Especiais, que busca gerar riqueza, valorização ambiental e social através de seus projetos socioambientais e modelo de negócio. Em 2017, a OJI foi reconhecida na segunda colocação de melhores empresas para trabalhar de Piracicaba e região, pelo instituto Great Place to Work. Já em 2018, se classificou como a 19ª melhor empresa para trabalhar no Brasil, na categoria médias multinacionais, em lista feita pela revista Época Negócios e pelo GPTW.




quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Dia da Árvore terá Viveiro de Portas Abertas


Evento vai mostrar como mudas nativas são produzidas; Consórcio PCJ e Oji Papéis Especiais vão entregar melhorias ao local
No próximo dia 21 de setembro, Dia da Árvore, o Consórcio PCJ, a Oji Papéis Especiais e a Secretaria de Defesa do Meio Ambiente (Sedema) irão promover o evento Viveiro de Portas Abertas, no Viveiro Municipal. Diversas atividades marcarão a data, como o plantio simbólico de mudas de Ipê Branco (árvore símbolo do Consórcio PCJ), distribuição de mudas nativas à população, além de um tour de capacitação, o Conhecendo a Produção de Mudas Nativas.
O Consórcio PCJ e a Oji Papéis Especiais também farão a entrega de melhorias no Viveiro, que consistem na compra de uma nova bomba de captação de água, telas de proteção do sol para os ambientes de reprodução de mudas nativas, compra de sementes e instalação de placas sinalizadoras para o local.
Estão confirmadas a participação do presidente do Consórcio PCJ e prefeito de Nova Odessa, Benjamim Bill Vieira de Souza; o presidente da Oji Papéis Especiais, Agostinho Monsserrocco; o prefeito de Piracicaba, Barjas Negri; o secretário da Sedema, José Otávio Machado Menten; e a coordenadora do Viveiro de Piracicaba, Clementina Rossini.
A iniciativa faz parte de uma parceria entre o Consórcio PCJ e a Oji Papéis Especiais, que ainda prevê ações de sensibilização e reflorestamento ciliar por meio do Programa de Proteção aos Mananciais da entidade, com investimentos previstos de R$ 15 mil. "O investimento no Viveiro de Piracicaba, além de beneficiar o município, faz parte de um grande projeto de revitalização de mananciais, já que grande parte das mudas produzidas são utilizadas nos reflorescimentos do Consórcio PCJ, que atinge toda a área das Bacias PCJ. Ao recuperar as nascentes que estão a montante, o próprio município de Piracicaba será beneficiado com a melhora da qualidade da água que chega ao rio homônimo que cruza a cidade", diz o coordenador de projetos e responsável pelo Programa de Proteção aos Mananciais do Consórcio PCJ, Guilherme Valarini.
Durante o Viveiro de Portas Abertas, haverá doação de mudas e a população poderá visitar as instalações. Durante o tour pelas instalações do Viveiro, cerca de 30 alunos do quarto ano da Escola Municipal Olívia Capranico conhecerão o local e aprenderão sobre a produção e importância de mudas nativas.
"A OJI tem uma grande responsabilidade socioambiental e contribuir com a produção de mudas em prol da preservação e recuperação de áreas verdes na região faz parte dessa premissa. Esse compromisso é o que mantém a sustentabilidade da nossa produção e a reputação do nosso negócio. Um dos nossos objetivos é cuidar para que o futuro seja ainda mais promissor, e ações como essa nos ajudam a alcança-lo", afirma Agostinho Monsserrocco, presidente da Oji Papéis Especiais.
O Programa de Proteção aos Mananciais do Consórcio PCJ possui 27 anos de atuação e já plantou mais de 4,5 milhões de mudas nativas em 2.700 hectares de matas ciliares, o equivalente a 3.610 campos de futebol. Essas ações são possíveis graças às parcerias que a entidade possui com 15 viveiros municipais espalhados pelas Bacias PCJ. O Viveiro de Piracicaba é o maior produtor da região e contribui com 50 mil mudas nativas em reflorestamentos nas Bacias PCJ.
Atuação em prol dos ODS
O evento Viveiro de Portas Abertas também foi registrado como uma das iniciativas que farão parte da celebração do aniversário de promulgação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), promovido pela Organização das Nações Unidas (ONU).
Pelo link http://www.act4sdgs.org/partner/consorcio_pcj pessoas do mundo todo acompanharão a atividade proposta pelo Consórcio PCJ para marcar essa importante data. O evento atende às premissas dos ODS 6 (água) e 15 (vida terrestre). Os ODS foram anunciados, em 25 de setembro de 2015, durante a Cúpula de Desenvolvimento Sustentável e discutidos na Assembleia Geral da ONU, onde os Estados-membros e a sociedade civil negociaram suas contribuições. O desenvolvimento sustentável é definido como o desenvolvimento que procura satisfazer as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade das futuras gerações de satisfazerem as suas próprias necessidades.
Para marcar a data de aniversário das ODS, a ONU criou a campanha We #Act4sdgs e o site www.act4sdgs.org pelo qual milhares de pessoas, organizações e instituições de todo o globo poderão cadastrar ações que debaterão os ODS, sensibilizando a comunidade sobre a importância dessas metas.


Sobre a Oji Papéis Especiais
Com capacidade produtiva de 120 mil toneladas de papel por ano, a empresa é líder nacional do setor de papéis especiais (térmicos e autocopiativos). Faz parte do Grupo OJI Holdings Corporation, fundado em 1873, no Japão. Atualmente conta com 35 mil profissionais e está em quatro continentes com mais de 300 subsidiárias e unidades fabris. Em 2011, o grupo assumiu o controle da fábrica de papéis especiais de Piracicaba e iniciou suas operações no setor no Brasil. A sustentabilidade é um dos principais valores da Oji Papéis Especiais, que busca gerar riqueza, valorização ambiental e social através de seus projetos socioambientais e modelo de negócio. Em 2017, a OJI foi reconhecida na segunda colocação de melhores empresas para trabalhar de Piracicaba e região, pelo instituto Great Place to Work. Já em 2018, se classificou como a 19ª melhor empresa para trabalhar no Brasil, na categoria médias multinacionais, em lista feita pela revista Época Negócios e pelo GPTW.


O Plante Vida da primavera acontece neste sábado (22/09) no Morro do Castelinho



A Prefeitura de Piracicaba, através da Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente- Sedema, promove, no próximo sábado (22/09), a partir das 9:00, o Plante Vida da Primavera. O evento acontece na área verde do Morro do Castelinho, local onde já aconteceram outros plantios. 
Como nos plantios anteriores, as famílias que aderiram ao Programa e optaram pelo plantio em áreas verdes, foram convidadas para este dia. Em Piracicaba nascem, em média, 15 crianças por dia, totalizando média de 5.500 crianças por ano.
Lançado em 2007 com o objetivo de fortalecer o programa de arborização “Piracicaba Mais Verde”, este programa acontece há 11 anos sempre em parceria com as maternidades dos hospitais de Piracicaba: Hospital Fornecedores de Cana, Santa Casa de Misericórdia e Unimed com objetivo de conscientizar as famílias sobre os benefícios da arborização e de buscar alternativas para melhorar a qualidade de vida na cidade.
Desde sua criação até agora, mais de 50 mil novas árvores já foram plantadas.  Para o Plante Vida deste sábado, serão plantadas serão as seguintes as espécies: Pau marfim, Peroba Rosa, Cana fístula, Guaritá, Jequitibá branco, Jequitibá Rosa, Caquizinho, Pau ferro, Sapuva branca, Mogno, Açoita-cavalo-graúdo, Ipê Branco, Ipê Amarelo, Ipê Roxo anão.

O Plante Vida

O Plante Vida nasceu como uma forma de conscientizar a população sobre os benefícios da arborização urbana: embeleza a cidade, fornece sombra, aumenta a umidade do ar, refresca a temperatura da cidade, combate enchentes, oferece alimento e abrigo aos animais, reduz estresse, reduz a poluição sonora, diminui o efeito estufa, ameniza a erosão, dentre outros.
Com adesão de quase 100 %, os pais preenchem os cadastros nas maternidades e posteriormente são encaminhados ao Núcleo de Educação Ambiental (NEA) da Sedema e inseridos no banco de dados. A equipe do NEA faz o contato com a família. Existem três formas de os pais participarem do Plante Vida:
- plantio em calçada: a equipe da Sedema executa todo o processo do plantio, sendo de responsabilidade dos pais a manutenção da muda;
 - plantio em área particular, quintal ou chácara: a Sedema doa a muda para ser plantada pelos pais;
- plantio em área verde: o plantio é comunitário; a Sedema define uma área verde e agenda o plantio com os pais.
Os pais que participam recebem um cartão comemorativo e também um Guia de Arborização com as instruções de como plantar uma muda.

Morro do Castelinho: entrada pela Rua Dr. Otávio Martins de Toledo (próximo à Associação Passo a Passo)